As webcelebridades da terceira idade

O universo digital não é mais o reinado da juventude. A terceira idade demorou, mas chegou. E já está chamando mais atenção do que muito influenciador de dezoito anos.

Todo mundo já sabe que a terceira idade gosta tanto de redes sociais quanto qualquer jovem ou adulto. Mas quem acha que essas senhoras e senhores se limitam aquelas vovós postando fotos dos netos no facebook, não faz ideia do que os octogenários são capazes.

A terceira idade não se contenta mais em ficar do lado de fora da tela, apenas interagindo com fotos de gatinho e vídeos de bebê. Eles passaram para o lado de lá. Não são mais apenas espectadores, eles é quem estão comandando o show.

Seja se exibindo em vídeos Youtube, posando para fotos no Instagram, ou expondo suas opiniões no Twitter, eles podem até ter demorado para entender como esse negócio de internet funciona, mas agora já estão dominando as redes sociais e tirando onda.

Para citar alguns: o canal brasileiro “As avós da razão” comandado por três senhoras de 76, 80 e 90 anos; o instagram de moda @blogdasu70, da paulistana Sueli, de 70 anos; a blogueira sueca Dagny Carlsson, de 106 anos e a instagrammer Helen Winkle de 85 anos, que já está alcançando seus 4 milhões de seguidores.

Em um mundo que valoriza e idolatra a juventude acima de tudo, as vovós e vovôs da internet chegaram para nos mostrar que experiência de vida também tem o seu valor.

E não é preciso pensar muito para compreender porque os idosos que se expõe nas redes sociais fazem tanto sucesso, enquanto jovens que dominam que se esforçam tanto, não conseguem sair do anonimato. Primeiro está a tão buscada autenticidade. Esses senhores não se importam em só mostrar o seu melhor ângulo e não precisam de oitenta selfies até acharem que estão perfeitos. Mesmo aqueles que têm por trás das câmeras um neto prestativo, dão um show de simplicidade e originalidade.

Outro motivo é que para muitos deles não existe tabu. Falam com propriedade e naturalidade de assunto considerados por muitas pessoas como zonas de desconforto, como sexualidade, envelhecimento e morte.

E, verdade seja dita, a maioria dos jovens e adultos nunca deu espaço para que os mais velhos falassem e expusessem suas opiniões. A terceira idade nunca foi ouvida o suficiente. Então é como se, só agora, estivéssemos descobrindo que eles também têm algo a dizer, graças a tantas plataformas à disposição,

E por último, fica aquilo que só quem já passou dos setenta, oitenta e noventa anos têm para oferecer. Lições de vida. E é por isso que a audiência desses vovôs não se limita a outros idosos que se reconhecem, mas jovens que passam a admirar essa voz recém-conquistada.

Hoje eles ainda podem representar uma fatia pequena da população digital – não chegam a 10% dos usuários do Instagram, por exemplo – mas o público aguarda ansioso por mais vozes da experiência como essas.

E para os jovens que buscam um lugar ao sol em meio as celebridades e influencers das redes sociais, fica a lição. Nem sempre se trata de corpos perfeitos e filtros meticulosamente aplicados. Autenticidade e sinceridade têm ganhado cada vez mais espaço entre as preferências da audiência. E esse é o tipo de vida real que, cada vez mais, queremos ver em nossos feeds.

Write a comment